Browsing: Destaque

Empresário acusado de corrupção, que parou a obra do aeroporto de Macapá, doou dinheiro à campanha de Waldez

0

Matéria publicada pelo jornal “Folha de S.Paulo”, datada de 20 de julho de 2009, afirma que o então candidato à reeleição, Waldez Góes (PDT), no ano de 2006, teria recebido através de doação do empresário Zuleido Veras, proprietário da empresa Gautama – responsável pela obra do aeroporto de Macapá -, a quantia de R$ 200 mil para a campanha do pedetista. A mesma empresa também doou R$ 100 mil para o então senador Papaléo Paes (PSDB), hoje vice-governador do Estado.

 

aeroportoPassados oito anos da paralisação da obra, o governador Waldez Góes, acompanhado dos deputados Roberto Góes (PDT) e Vinícius Gurgel (PR), volta a Brasília para pedir ao diretor financeiro da Infraero, José Iranaldo, a celeridade na retomada dos trabalhos.

O Aeroporto Internacional de Macapá Alberto Alcolumbre está prometido ao Amapá desde 2004. Ele seria inaugurado no ano de 2006, às vésperas das eleições, o que não ocorreu. Em 2007, as obras foram paralisadas pela Operação Navalha, da Polícia Federal (PF), quando a construtora Gautama foi acusada de desviar R$ 113 milhões do projeto.

Segundo a PF, o esquema utilizado pela quadrilha consistia em superfaturar obras previstas no PAC. Os presos já discutiam, sem mesmo haver licitação das obras nem contratos, os meios de corrupção. O Aeroporto de Macapá é a principal obra pela qual o então senador José Sarney (PMDB) trabalhou para viabilizar na capital do Estado que o elegeu durante o segundo dos três mandatos de senador pelo Amapá.

Estado do Amapá tem a segunda maior taxa de desemprego do país

0

A taxa de desocupação, no Amapá, foi estimada em 9,6% no 1º trimestre de 2015, a segunda maior taxa entre as unidades da Federação no período; entre elas, Rio Grande do Norte teve a maior taxa (11,5%) e Santa Catarina, a menor (3,9%). A realidade contraria o discurso de campanha do governador Waldez Góes (PDT), que, na corrida eleitoral de 2014, prometia gerar empregos e “fazer o dinheiro circular no Estado”

 
Desde janeiro cresce o número de desempregados no Amapá, afetando o comércio e a economia local. Além da paralisação de algumas empresas na atividade mineral, as principais obras públicas estão emperradas. Na tentativa de apresentar uma explicação para o problema, o atual governo apelou para o discurso frequente de transferir a responsabilidade ao antecessor. Waldez Góes e a equipe de governo alegam que as obras estão paralisadas em razão da inadimplência gerada no governo de Camilo Capiberibe junto ao Governo Federal.

A população desocupada (32 mil pessoas) não variou frente ao trimestre imediatamente anterior. Em relação ao 1º trimestre de 2014, houve um recuo de -15,8%. O nível da ocupação (indicador que mede a parcela da população ocupada em relação à população em idade de trabalhar) foi estimado em 55,5% no 1º trimestre de 2015, abaixo dos 56,8% verificados no trimestre anterior e acima dos 54,4% observados no 1º trimestre do ano passado.

A população ocupada foi estimada em 302 mil, refletindo variação de -2,3% na comparação com o trimestre anterior e 2% frente ao mesmo trimestre de 2014. No 1º trimestre de 2015, 77,4% dos empregados no setor privado tinham carteira de trabalho assinada, apresentando avanço de 1,4 ponto percentual em relação a igual trimestre de 2014 (75,9%). Em relação ao trimestre anterior, não houve variação estatisticamente significativa.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores foi estimado em R$ 1.741. Esse resultado foi 1,5% menor que o registrado no trimestre anterior (R$ 1.768) e 0,7% inferior em relação ao obtido no 1º trimestre de 2014 (R$ 1.754). A massa de rendimento médio real habitual dos ocupados foi estimada em R$ 503 milhões, registrando redução de 4,6% em relação ao 4º trimestre de 2014. Na comparação anual, essa estimativa teve alta de 1%.

As análises apontaram diferenças significativas na taxa de desocupação entre homens e mulheres. No 1º trimestre de 2015, a taxa foi estimada em 8% para os homens e 12% para as mulheres. Já entre os jovens de 18 a 24 anos de idade, a taxa ficou em 23,5%, patamar elevado em relação à taxa média total (9,6%).

A taxa de desocupação para o contingente de pessoas com ensino médio incompleto (19,6%) era superior à verificada para os demais de níveis de instrução. Para o grupo de pessoas com nível superior incompleto, a taxa foi estimada em 17,1%, praticamente 4 vezes maior do que a taxa verificada para aqueles com nível superior completo (4,6%).

Pela primeira vez, a PNAD Contínua traz as informações completas sobre o mercado de trabalho para Brasil, grandes regiões e unidades da Federação. A maior taxa foi verificada na Região Nordeste (9,6%), e a menor, no Sul (5,1%).

 

Do Amapá 247

Ministério Público apura responsabilidades em inundação no município de Ferreira Gomes

0

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), diante da inundação que ocorreu nesta quinta-feira (7), no município de Ferreira Gomes, informa que está adotando todas as medidas possíveis e necessárias para dar apoio à comunidade e autoridades locais, bem como providências para restabelecer o atendimento na sede da Promotoria de Justiça daquela Comarca, também atingida pelo incidente provocado por operações realizadas pelas hidrelétricas instaladas no Rio Araguari.

 

O procurador-geral de Justiça do MP-AP, Roberto Alvares, acompanhado promotor de Justiça Laércio Mendes, titular da Promotoria de Ferreira Gomes, além de técnicos da instituição, esteve na sede do município, onde acompanhou a atuação dos órgãos que compõem a força-tarefa da Defesa Civil, ao mesmo tempo em que inicia a coleta de informações sobre o episódio.

A Procuradoria-Geral de Justiça do MP-AP informa, ainda, que nesta sexta (8), às 10h, na Promotoria de Porto Grande, o Ministério Público, representado pelo promotor Laércio Mendes e pela promotora Fabia Nilci, titular da Promotoria de Justiça de Porto Grande, reunirá com órgãos ambientais e representantes das empresas responsáveis pelas hidrelétricas para avaliar a situação em Ferreira Gomes e apurar responsabilidades.

Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Foto: Reprodução

Senador Capiberibe pede ação da União em face das cheias nos rios do Amapá

0

O senador João Capiberibe (PSB), preocupado com o alagamento da cidade de Ferreira Gomes, no Amapá, conversou com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, para se informar sobre a cheia do Rio Araguari, onde está sendo construída a Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão.

 

ferreira gomes alaga5O empreendimento é da Empresa Cachoeira Energia, pertencente ao grupo português EDP. O ministro informou não se tratar de um acidente e, sim, de uma operação inerente a esse tipo de obra em que a água desviada é devolvida para o leito do rio provocando um crescimento repentino do volume da água.

A Empresa Cachoeira Energia, concessionária da Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, emitiu nota em que informa que “devido a cheia do rio Araguari, realizou a abertura controlada na ensecadeira da 2ª fase para permitir a passagem das águas do rio, e garantir a segurança das estruturas e comunidades ribeirinhas, não provocando danos às pessoas, ferreira gomes alaga3equipamentos e ao meio ambiente”.

Além disso, o senador Capiberibe também pediu ao ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, providências para minimizar os efeitos das enchentes no Distrito do Bailique e nos municípios de Oiapoque e Ferreira Gomes.

Comissão de Agricultura da Alap confirma denúncia de contaminação por agrotóxicos no plantio de soja

0

A deputada estadual Cristina Almeida (PSB), presidente da Comissão de Agricultura e Abastecimento, e técnicos da Assembleia Legislativa visitaram nesta quarta-feira, 6, a comunidade de São Joaquim do Rio Pedreira, localizada no km 50 da BR-156. O objetivo foi apurar a denúncia de suposta contaminação por agrotóxicos no plantio de soja nas proximidades da região.

 

DSC_4032A parlamentar e a equipe técnica constataram a veracidade da denúncia através dos depoimentos de alguns moradores da localidade, confirmando o que foi relatado em plenário à Comissão de Agricultura e Abastecimento pela deputada Roseli Matos (DEM).

Há estudos que comprovam que aproximadamente 25 milhões de trabalhadores agrícolas sofrem com algum tipo de intoxicação causada por exposição a agrotóxicos, os quais, quando usados de forma incorreta, contaminam o solo, lençóis freáticos, rios e lagos, além dos efeitos serem extremamente prejudiciais à saúde.

“Vamos encaminhar para conhecimento e providências dos órgãos competentes como o Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá, que executa as políticas de meio ambiente do Estado quanto ao licenciamento, fiscalização e monitoramento ambiental. Também levaremos à Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária e à Comissão de Meio Ambiente e Política Agrária da Assembleia Legislativa”, declarou a deputada Cristina Almeida.

Em vez de prestar contas dos mais de 120 dias de governo, gestão de Waldez prefere atacar Camilo

0

Passados 127 dias de gestão e não tendo nada para mostrar à população amapaense, o governo de Waldez Góes (PDT), segundo fontes do Palácio do Setentrião, promove na tarde desta quinta-feira, 7, uma coletiva de imprensa na Procuradoria Geral do Estado com o objetivo de atacar o ex-governador Camilo Capiberibe (PSB).

 

Conforme a fonte, a missão do procurador-geral Narson Galeno – que comandará a entrevista – será anunciar que o atual governo irá entrar com diversas ações de improbidade administrativa contra o ex-governador socialista. “A manobra será para justificar por que o atual governo paralisou mais de 50 obras, por exemplo, e culpar o ex-governador Camilo”, informou.

A fonte palaciana disse que a estratégia do governo, também, é tentar dividir o silêncio do governador pelo aumento do próprio salário e de seus secretários, a manutenção de duas residências oficiais, a falta de medicamentos nos hospitais da rede pública de saúde, o aumento da violência, o desemprego, a crise no comércio, além dos dados negativos de uma pesquisa de satisfação popular do analista político Rodolfo Juarez, a qual apontou uma rejeição de 74% do governador Waldez Góes, considerada a pior da história para um início de mandato.

Além da crise em setores importantes do Estado, o governador pedetista, até o momento, ainda não anunciou a data-base dos servidores estaduais. Diversas categorias se mobilizam para pressionar o governo em busca de uma resposta, a exemplo do Sindicato dos Servidores Públicos em Saúde, que anunciou paralisação nos dias 10, 11 e 12 de maio.

Alertado dessa estratégia midiática do governo, o ex-governador Camilo Capiberibe postou nas redes sociais: “Grande obra dos 120 dias do governo atual é preparar uma coletiva de imprensa e usar a PGE para me atacar. Mas se o governo Waldez pretende me acionar judicialmente posso garantir que não vou fugir pela porta dos fundos para não ser notificado”.

Ação fiscaliza condições de funcionamento das academias de ginástica de Macapá

0

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) iniciou nesta terça-feira, 5, uma ação em conjunto com as vigilâncias sanitárias Municipal e Estadual, Conselho Regional de Educação Física e o Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá nas academias de ginástica de Macapá. O objetivo é verificar as condições higiênico-sanitárias do ambiente, aparelhos e equipamentos, valores cobrados na mensalidade, bem como se os empreendimentos possuem o alvará de funcionamento.

 

Durante a ação, duas academias foram notificadas e uma foi interditada por não possuir condições higiênico-sanitárias necessárias e exigidas pelos órgãos fiscalizatórios. De acordo com a diretora da Vigilância Sanitária Municipal, Eriane Barbosa, as fiscalizações se estenderão até o fim desta semana. “Nossa intenção é fiscalizar dez academias, garantindo a integridade e a saúde dos frequentadores. Observamos, por exemplo, as condições dos aparelhos, bebedouros e estrutura física”.

As academias que foram notificadas têm o prazo de 15 dias para fazer as adequações exigidas. Já a interditada só será reaberta após o cumprimento de todos os itens observados durante a inspeção. “Nosso interesse não é fechar o estabelecimento ou prejudicar o empresário, nosso objetivo é fazer com que a população de Macapá tenha acesso a um serviço de qualidade, que não comprometa, principalmente, a sua integridade”, ressaltou Eriane.

O serviço de fiscalização em academias é feito rotineiramente pela Vigilância Sanitária Municipal. As ações desenvolvidas pelo órgão têm o objetivo de promover e proteger a saúde da população, eliminando, diminuindo ou prevenindo riscos e intervindo nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços.

Da Asscom/Semsa

Foto: Reprodução

Vídeo mostra que Waldez não cumpriu promessa de campanha feita aos militares

0

Na manhã desta quarta-feira, 6, circulou nas redes sociais um vídeo onde mostra que o governador Waldez Góes (PDT) não cumpriu mais uma promessa feita durante o período eleitoral: dialogar diretamente com os militares sobre o reajuste salarial da categoria.

 

Na propaganda eleitoral, Waldez diz que vai tratar diretamente com os membros do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar sobre o reajuste salarial. No entanto, segundo a Associação dos Militares Estaduais do Amapá (Asmeap), o governador, em nenhum momento, chamou a categoria para negociar pessoalmente, como havia prometido.

Conforme a direção da associação, assim como as demais categorias de servidores públicos, eles não só lutam por melhores salários, mas também por melhores condições de trabalho e com isso prestar o melhor serviço possível para a sociedade.

“Os militares não podem fazer greve, nem fazer parte de sindicatos, mas podemos nos associar. A Associação dos Militares Estaduais do Amapá – ASMEAP foi criada para representar todos os sócios, do Soldado ao Coronel. A Associação não tem partido, não defende ideologia política, defende tão somente os interesses coletivos dos militares do Estado do Amapá. É a Associação que tem legitimidade para representar os sócios nas mais diversas situações”, diz um comunicado da entidade.

Apesar de ser estabelecido em lei que o governo deve anunciar no dia 1º de abril de cada ano a data-base dos servidores, até o momento o governador Waldez não se pronunciou sobre o assunto. Situação que tem feito várias categorias, como é o caso do Sindsaúde, anunciarem paralisação nos 11, 12 e 13 próximos.

Após quatro meses, governo Waldez não cumpre promessa de fazer a revisão da Substituição Tributária

0

No horário eleitoral, o então candidato pedetista Waldez Góes conquistou muitos votos da classe empresarial garantindo que já nos primeiros dias de governo faria a revisão da Substituição Tributária, aquela em que o pagamento do ICMS é efetuado, pelo empresário, antes mesmo da venda do produto. Esse processo iniciou ainda na segunda gestão de Waldez (2007 a 2010).

No entanto, passados quatro meses, os empresários cobram a promessa que não foi cumprida. “Sempre fomos contra a cobrança antecipada e apoiamos o governo justamente pela garantia de que ela iria passar por uma revisão, mas até agora não foi feito nada”, comentou o empresário Rogério Assunção.

Detalhe: a Substituição Tributária foi criada e implantada no final do governo Waldez Góes. A partir de 2011, na gestão de Camilo Capiberibe, o sistema foi modernizado. Contudo, foram abertas algumas exceções, após reivindicação de setores como o de panificação e de farmácia.

Nesse período, mesmo com a arrecadação tributária em vigor, o Amapá, durante os anos de 2011 e 2014, foi campeão proporcionalmente na geração de emprego, seja no comércio ou na construção civil, e um dos primeiros colocados no volume de vendas do comércio varejista, segundo apontaram pesquisas do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Senador João Capiberibe lembra dia das parteiras e seu trabalho no combate à mortalidade infantil

0

O senador João Capiberibe (PSB-AP) saudou o Dia Internacional da Parteira, comemorado em 5 de maio, destacando a importância do trabalho destas mulheres no Brasil e no mundo.

 

Capiberibe ressaltou o fato de que, mesmo em países desenvolvidos, as parteiras continuam atuando, embora de outras formas e com nomes diferentes. Ele acrescentou que no Brasil, além de fazer partos, elas exercem uma liderança comunitária muito forte.

– A ONU diz que as parteiras podem evitar dois terços das mortes de mães e recém-nascidos. No Brasil, elas são atuantes e desenvolvem um papel fundamental e importante na assistência às mulheres nas regiões longínquas, nas regiões mais isoladas – disse o senador.

João Capiberibe ainda lamentou que até hoje não tenha sido aprovado um projeto apresentado há mais de dez anos pela deputada Janete Capiberibe que prevê o reconhecimento da atividade das parteiras.

Igarapé sustentável

O senador João Capiberibe destacou ainda a importância do Projeto Igarapé Sustentável, implementado pelo governo do Amapá e o Ministério da Integração Nacional em comunidades que desenvolvem atividades de pesca, especialmente do camarão, e de coleta de açaí de outros produtos da floresta.

Segundo o senador, no final do ano passado o Ministério da Integração Nacional liberou R$ 1,9 milhão para a o projeto que deverá receber investimento total de R$ 16 milhões: R$ 13 milhões de recursos federais e R$ 3 milhões do governo estadual.

João Capiberibe explicou que o Igarapé Sustentável visa adensar a cadeia produtiva do camarão, produto em abundância na região, a exemplo do que já ocorreu com o açaí. Com isso, espera-se garantir mais renda às comunidades locais.

– É claro que pescar o camarão para comercializar a 10, 12 reais o quilo fica muito pouco para a comunidade, fica muito pouco para os pescadores. Então, a ideia é adensar essa cadeia produtiva e chegar a um produto industrial: o camarão seco, o hambúrguer de casca de camarão que pode ser muito aproveitado – explicou.

De acordo com Capiberibe, o projeto contempla a instalação de um mercado para recepcionar os produtos, com píer de atracação para o embarque e desembarque de turistas e três fábricas de polpa de frutas.

Da Agência Senado

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

1 204 205 206
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com