Indústria de descartável: uma reciclagem econômica para o Estado do Pará

0

Nesse terreno minado, a indústria do plástico põe investimentos à prova. Em tempos de recessão, o setor aposta em ações que apontem pra frente

 

Eles passam até despercebidos no meio de tanta coisa. Mas ao parar e analisar percebe-se que eles são de profunda importância para o mercado. Estamos falando dos descartáveis. Levando ao pé da letra da palavra, eles são apenas descartáveis. Usou, jogou fora. Mas é justamente o fato de usar e acabar, ou usar e ‘não prestar mais’, que o mercado clama por novas oportunidades e unidades. Diante da crise econômica mundial, o que antes se resumia a ‘jogar no lixo’ pode ser a reciclagem financeira de muita gente.

Ativo fixo de qualquer mercado, o setor plástico também capotou no primeiro semestre deste ano. Projeções preliminares da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) apontam para queda de 4,8% na produção de artefatos transformados, equivalente a 3,17 milhões de toneladas na primeira metade do ano frente aos mesmos seis meses em 2014. O percentual negativo decorre da prostração generalizada nos segmentos da linha de frente.

Nesse terreno minado, a indústria do plástico põe investimentos à prova. Em tempos de recessão, o setor aposta em ações que apontem pra frente. Uma delas é a instalação de uma indústria de descartáveis, a primeira do Estado do Pará e que irá gerar cerca de 100 postos de trabalho na cidade de Paragominas. A indústria ficará sediada em uma região de grande desenvolvimento e de grandes apostas comerciais: o sudeste paraense.

Para o empresário Anderson Alves, o investimento no segmento de descartáveis foi estudado com base na viabilidade técnica e econômica. Segundo ele, esta será a primeira fábrica de copos e pratos descartáveis de plástico do Pará e tem como objetivo atender o mercado local, tanto de Paragominas quanto do estado.

O empresário, que hoje atua no ramo de móveis e eletrodomésticos, pretende diversificar sua atuação no mercado e acredita que o ramo de descartáveis é uma ótima oportunidade. ‘A fábrica já nasce com um plano de ampliação e visa outros mercados, posto que seremos os únicos do Estado a trabalhar nessa linha de produtos’, comenta.

Caracterizada por fazer bons plantios, no sentindo figurado da frase, a cidade de Paragominas tem a tradição de investir sem medo. De acordo com o prefeito Paulo Tocantins, o governo está plantando a semente deste empreendimento, por ter certeza que vai colher excelentes frutos, como a geração de emprego e renda para a população.

Os descartáveis são componentes obrigatórios e decisivos para o sucesso comercial de praticamente todos os produtos. Mas mais do que isso, é um produto que viabiliza o atendimento da população global para a sua alimentação, saúde e bem-estar.

O material viabiliza a dinâmica global de produção e consumo, possibilitando a conservação dos produtos e a sua distribuição, tornando os mais diferentes produtos acessíveis por pessoas ao redor de todo o planeta. Ao mesmo tempo, possibilita a economia global em sua dinâmica de produção regionalizada e otimizada, buscando-se a eficiência e a sustentabilidade dos processos industriais.

Com influência direta nos custos e na tecnologia de fabricação, na distribuição e na conquista de consumidores e na forma de consumo dos produtos, os descartáveis exigem conhecimentos especializados para ser bem projetado e garantir a preservação de seu conteúdo.

Agora, ao se deparar com um descartável pense no que fazer. Ele pode ser a solução que muita gente precisa para se descartar do aperto.

De O Liberal

Leave A Reply

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com