Ginástica brasileira conquista vaga inédita por equipe na Rio-2016

0

No Mundial da Escócia, Arhur Zanetti decepciona e fica fora das finais de argolas

 

A ginástica brasileira conquistou nesta segunda-feira, no Mundial de Glasgow, na Escócia, a inédita vaga para que toda a equipe masculina participe dos Jogos Olímpicos pela primeira vez. Arthur Nory Mariano, Arthur Zanetti, Caio Souza, Francisco Barretto Júnior, Lucas Bitencourt e Péricles Silva somaram 349,057 pontos em todos os aparelhos na fase classificatória e com isso terminaram em sétimo, dentro da meta de setem top 8 da competição.

A vaga foi obtida apesar de atletas do Brasil terem sofrido quedas na etapa de domingo. O campeão olímpico, vice-campeão mundial e campeão pan-americano Arthur Zanetti ficou dividido. Por um lado, estava feliz pela vaga por equipes, mas por outro, estava decepcionado por ter ficado de fora da final de seu melhor aparelho, as argolas.

— Lógico que fico triste por não estar fazendo parte, mas já vinha falando há muito tempo que o objetivo principal era a equipe. Pegamos a final por equipes? Sim. Então eu estou feliz. Eu fiz a minha parte. Os árbitros deram aquela nota, foi o que eles acharam, mas não importa. O que importa é o objetivo principal para esse Mundial, que era a equipe. É o que a gente focou, é o que a gente conseguiu — declarou Zanetti.

Ele acrescentou que é muito gratificante integrar a equipe verde-amarela.

— Estou muito feliz. É gratificante fazer parte dessa equipe. Muita gente antes não acreditava que o Brasil fosse levar uma equipe completa aos Jogos. Primeiramente pegamos uma final por equipes no ano passado, agora conseguimos classificar uma equipe completa para as Olimpíadas. Acho que a equipe está de parabéns. Já venho batendo nessa tecla há uns dois anos, que é a equipe. O sentimento que eu tive em Londres essa equipe maravilhosa vai poder sentir também — disse Zanetti.

Nesta quarta-feira, Brasil, Japão, China, Grã-Bretanha, Rússia, Estados Unidos, Suíça e Coreia do Sul vão disputar as finais por equipe. Na prática, para o Brasil, a conquista da vaga para a equipe vai representar as chances de o país lutar por medalhas olímpicas por equipe, no Individual Geral ou por aparelhos.

— Este é o fruto de um grande trabalho que começou há alguns anos — ressaltou o técnico-chefe da Seleção, Renato Araújo. — É um momento histórico. Classificar uma equipe inteira sempre foi o nosso sonho. Já perseguimos isso há algum tempo. Batemos na trave no último ciclo, pois em Londres tivemos três atletas, mas não a equipe completa. Este é o melhor momento da Ginástica Artística Masculina do Brasil. Nossa classificatória veio de um Mundial com a presença dos melhores ginastas do planeta e isso é muito difícil.

Nas finais individuais, a seleção brasileira terá Arthur Nory e Lucas Bitencourt na decisão do individual geral nesta sexta-feira. Nory foi o décimo colocado com 88,182 pontos, e Lucas, o 16º com 86,564 pontos. Nory também se garantiu na barra-fixa, a ser disputada no domingo, tendo obtido 15,300 pontos nesta segunda-feira.

— Dormimos até tarde, então o dia passou mais rápido. Teve treino, foi bem tranquilo. Estávamos bem confiantes. Depois que passaram a Ucrânia e a França, vimos que essa vaga era nossa. Estou muito satisfeito, muito feliz. É muita coisa que passa pela nossa cabeça, porque trabalhamos tanto para classificar a equipe, desde a primeira vez em 2012, no evento-teste, quando batemos na trave. Estou muito grato por tudo. Essa união que temos é a melhor sensação — disse Nory.

De O Globo

Leave A Reply

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com