Trabalhar menos horas aumenta produtividade? Consultoria sugere que sim

0

Trabalhar menos horas pode significar um aumento na produtividade. Isso é o que sugere um levantamento da consultoria inglesa Expert Market, que analisou dados de 36 países (o Brasil não está entre eles).

 

O estudo dividiu o PIB (Produto Interno Bruto) per capita –que representa a produção por pessoa, em libras (moeda britânica)– pelo número de horas trabalhadas, em média, por ano.

Sete países que estão entre as maiores economias do mundo aparecem entre os dez com menor número de horas trabalhadas: Luxemburgo, Noruega, Suíça, Holanda, Alemanha, Dinamarca e Suécia.

Alemães trabalham menos horas

Entre os 36 países, a Alemanha tem o menor número de horas de trabalho por ano: 1.371 por pessoa –abaixo da média mundial, de 1.762 horas.

Mesmo trabalhando menos horas, o país ficou em sexto em termos de produtividade. Por lá, cada pessoa gera, em média, 25,95 libras por hora.

O campeão de produtividade foi Luxemburgo, onde uma pessoa gera 45,71 libras, em média, por hora. O país é o 10º com o menor número de horas trabalhadas por ano.

Veja o ranking de produtividade por país:

  1. Luxemburgo – trabalham 1.643 horas/ano; produtividade por hora de 45,71 libras
  2. Noruega – trabalham 1.427 horas/ano; produtividade por hora: 36,36 libras
  3. Austrália – trabalham 1.664.2 horas/ano; produtividade por hora: 29,81 libras
  4. Suíça – trabalham 1.568,2 horas/ano; produtividade por hora: 28,35 libras
  5. Holanda – trabalham 1.425 horas/ano; produtividade por hora: 28,35 libras
  6. Alemanha – trabalham 1.371 horas/ano; produtividade por hora: 25,95 libras
  7. Dinamarca – trabalham 1.436 horas/ano; produtividade por hora: 24,14 libras
  8. EUA – trabalham 1.789 horas/ano; produtividade por hora: 23,66 libras
  9. Irlanda – trabalham 1821,26 horas/ano; produtividade por hora: 23,12 libras
  10. Suécia – trabalham 1.609 horas/ano; produtividade por hora: 22,58 libras
  11. Áustria – trabalham 1628,7 horas/ano; produtividade por hora: 22.03 libras
  12. França – trabalham 1473,45 horas/ano; produtividade por hora: 21,21 libras
  13. Canadá – trabalham 1.704 horas/ano; produtividade por hora: 20,30 libras
  14. Finlândia – trabalham 1.645 horas/ano; produtividade por hora: 18,95 libras
  15. Islândia – trabalham 1.864 horas/ano; produtividade por hora: 18,76 libras
  16. Reino Unido – trabalham 1.677 horas/ano; produtividade por hora: 18,64 libras
  17. Japão – trabalham 1.729 horas/ano; produtividade por hora: 16,72 libras
  18. Espanha – trabalham 1.688,8 horas/ano; produtividade por hora: 15,63 libras
  19. Itália – trabalham 1.733,9 horas/ano; produtividade por hora: 15,62 libras
  20. Nova Zelândia – trabalham 1.762 horas/ano; produtividade por hora: 15,58 libras
  21. Eslovênia – trabalham 1.561 horas/ano; produtividade por hora: 15,06 libras
  22. Israel – trabalham 1.853 horas/ano; produtividade por hora: 13,80 libras
  23. Coreia do Sul – trabalham 1.789 horas/ano; produtividade por hora: 23,66 libras
  24. República Tcheca – trabalham 1.776 horas/ano; produtividade por hora: 13,50 libras
  25. Eslováquia – trabalham 1.763 horas/ano; produtividade por hora: 12,78 libras
  26. Lituânia – trabalham 1.834 horas/ano; produtividade por hora: 11,75 libras
  27. Estônia – trabalham 1.859 horas/ano; produtividade por hora: 11,67 libras
  28. Portugal – trabalham 1.857 horas/ano; produtividade por hora: 11,36 libras
  29. Hungria – trabalham 1.857,9 horas/ano; produtividade por hora: 10,70 libras
  30. Polônia – trabalham 1.923 horas/ano; produtividade por hora: 10,45 libras
  31. Grécia – trabalham 2.042 horas/ano; produtividade por hora: 9,81 libras
  32. Rússia – trabalham 1.985 horas/ano; produtividade por hora: 9,71 libras
  33. Letônia – trabalham 1.938 horas/ano; produtividade por hora: 9,67 libras
  34. Chile – trabalham 1.989,8 horas/ano; produtividade por hora: 8,96 libras
  35. México – trabalham 2.228 horas/ano; produtividade por hora: 5,96 libras
  36. Costa Rica – trabalham 2.216 horas/ano; produtividade por hora: 5,31 libras

Mais horas, menos produtividade

A ponta de baixo do ranking também parece comprovar a tese de que menos horas de trabalho ajudam a aumentar a produtividade, segundo a consultoria.

Oito países aparecem tanto na lista dos dez com mais horas de trabalho, quanto entre os dez com menor produtividade: México, Costa Rica, Grécia, Chile, Rússia, Letônia, Polônia e Estônia.

O México, por exemplo, é o país com o maior número de horas trabalhadas: 2.228 ao ano. Logo atrás aparece a Costa Rica, com 2.216. Os dois países também aparecem como os últimos em termos de produtividade.

Jornada de 80 horas

Em julho, o presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Robson Braga de Andrade, gerou polêmica ao defender mudanças nas leis trabalhistas e citar como exemplo o caso da França, afirmando que o país aprovou a jornada de trabalho de até 80 horas semanais.

“Nós aqui no Brasil temos 44 horas de trabalho semanais. As centrais sindicais tentam passar esse número para 40. A França, que tem 36 horas, passou agora para 80, a possibilidade de até 80 horas de trabalho semanal [na verdade, são 60 horas]e até 12 horas diárias de trabalho”, afirmou.

Depois das declarações, a CNI divulgou nota dizendo que o presidente da confederação não defendeu o aumento da jornada de trabalho no Brasil.

Do UOL Economia

Leave A Reply

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com