A literatura de Ademir Pedrosa no Sarau de Todas as Tribos

0

Bárbaro Soneto, Nave Protonotária, Língua Brasileira, Faca de Dois Gumes, Equinócio, Trapiche e Rap em Preto e Branco, são algumas das canções que compõem e enriquecem o universo musical amapaense, cujas letras foram escritas pelo poeta e compositor Ademir Pedrosa, ele que será o protagonista do Sarau de Todas as Tribos do Sesc Amapá desta terça-feira, 20.

 

O Sarau fechará a programação de 2016, que na edição desta terça-feira excepcionalmente não terá a parte musical, pois será todo ele feito de poesia.

Ademir Pedrosa vai levar ao Sesc Centro uma pequena mostra de sua extensa obra literária – escrita e musicada – e abrir espaço também para poetas, compositores e profissionais de letras do Amapá, que são seus amigos e parentes para a celebração da palavra escrita, falada e cantada, numa noite natalina que vem sendo esperada e anunciada especial.

Joãozinho Gomes, Aroldo Pedrosa, Thomé Azevedo, Lia Borralho, Rosa Rente, Mary Paes, Maria Rojanski e Ingrid Sato são os convidados do escritor, que tem em seu currículo o reconhecimento e a conquista de muitos prêmios em concursos literários e festivais de música pelo Brasil. O protagonista fez uma seleção de seus poemas e letras mais impactantes para declamar, sobretudo a acadêmicos de letras das universidades federal e estadual e faculdades particulares que também estão sendo convocados para o Sarau de Todas as Tribos.

“Convidei pessoas, todas elas ligadas às letras. A ideia é falar de poesia por quem e para quem entende a poesia como alimento maior à ânima das pessoas”, explica o escritor ao convidar pessoas do meio literário para compor o elenco ao lado dele para o Sarau.

A mestra em Letras, Maria Rojanski, filha de Ademir Pedrosa com a escritora Lulih Rojanski, vai abrir o evento falando de literatura brasileira; Joãozinho Gomes declamará fragmentos de sua obra A Flecha Passa; a atriz Rosa Rente fará a performance poética “Eu sei que vou te amar” de Arnaldo Jabor e “Último post” da poeta Lúcia Santos; Lia Borralho vai recitar “Ode aos ratos” e “Injuriado” de Chico Buarque de Hollanda, assim como “Poço do Mato” de Ademir Pedrosa; Mary Paes apresentará “Bárbaro Soneto”, também de autoria do protagonista e que será depois cantada pela Ingrid Sato (o poema foi musicado por Enrico Di Miceli); e o compositor Aroldo Pedrosa declamará “Língua” de Caetano Veloso e o poema inédito “Gal fa-tal” – este escrito em parceria com o irmão, no início dos anos 70, sobre o histórico e famoso álbum da cantora baiana tropicalista. “É um poema perdido no tempo que não tínhamos guardado sequer o manuscrito dele, mas quando a Gal Costa fez 70 anos, a letra milagrosamente me veio completa à cabeça. Foi um anjo louco da Tropicália que me trouxe ela de volta, só pode!”, revela o compositor amapaense.

O controvertido escritor e agitador cultural Ademir Pedrosa, leva um compacto de sua obra literária ao Sesc Centro por ter sido selecionado pela 12ª Mostra Sescanta Amapá no ano passado e terá direito ainda a nova pauta no projeto para a realização de um show musical no mês de janeiro de 2017.

 

Serviço

Sarau de Todas as Tribos com Ademir Pedrosa
Local: Sesc Centro – Rua Tiradentes esquina com Av. Mendonça Júnior
Data: 20 de dezembro (terça-feira)
Início: 20h
Entrada: Franca
Classificação: Livre

Leave A Reply

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com