Movimento LGBT denuncia retrocesso nas políticas inclusivas no governo Clécio na PMM

0

Em carta aberta, a Rede da Juventude de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, e Transexuais Lara Fabyan – RDJ LGBT Lara Fabyan denunciou a Prefeitura de Macapá de estar usando da barganha política-eleitoral no preenchimento de cargos vinculados ao movimento LGBT, causando um retrocesso nas políticas inclusivas aprovadas na 3ª Conferência Municipal de Direitos Humanos LGBT-2015.

 

CARTA ABERTA AO PREFEITO DE MACAPÁ

A Rede da Juventude de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, e Transexuais Lara Fabyan – RDJ LGBT Lara Fabyan é uma organização de abrangência Estadual no Amapá, que desde 2015 atua na promoção do enfrentamento a discriminação por orientação sexual, racismo, identidade de gênero, luta pela garantia dos direitos humanos, política pública para a juventude, cidadania plena de pessoas LGBTIQ, agrega jovens negros, profissionais do sexo, pessoas não binarias, mulheres, pessoa com deficiência, pessoa que vive e convive com HV, IST, e HIV/AIDS e outros HSH e MSM.

A RDJ LGBT Lara Fabyan vem por meio deste vilipendiar o afastamento o Sr. Dir. Ivon Souza Cardoso do Departamento de Promoção da Igualdade e Orientação da Diversidade Sexual-DEPIR da Prefeitura de Macapá, e reconhece que esta movimentação é um ataque e retrocesso ao Plano Municipal de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT-2015 aprovado na 3ª Conferência Municipal de Direitos Humanos LGBT-2015, acompanhamos os avanços que ocorreram no decorrer dos anos desta gestão municipal e visualizamos que inúmeras políticas de inclusão deste segmento ainda não foram efetivadas, estagnar estas políticas de acolhimento significa promover a marginalização desta população historicamente excluída socialmente, em plena véspera de ano eleitoral os direitos humanos LGBT ainda é utilizado como barganha de negociação por políticos que não possuem sensibilidade para com a cidadania da população LGBTIQ.

Preocupamo-nos ao retrocesso de políticas chaves tais como o Comitê Técnico de Combate a Homofobia, deliberações da Plenária LGBT no Congresso do Povo 2017, utilização do nome social na administração pública municipal, Conselho da Igualdade Racial, Fórum Municipal de Educação, e a Parada do Orgulho LGBT de Macapá, salientamos que este Departamento discute a política transversal no âmbito municipal de Macapá, enxergamos que esta retirada afetara de maneira transversal toda essa população de modo que dificultará o acesso e a participação social.

Em 16 de Setembro 2016 o movimento LGBT apresentou a este governo municipal a “Carta Compromisso” onde buscamos de acordo com a necessidade e urgência de ações na promoção dos direitos humanos LGBT e enfrentamento efetivo no combate à LGBTfobia, no qual convidamos este governo a comprometer-se com a efetivação de 10 demandas desta comunidade, neste dia a candidata a Vice-Prefeita Sra. Telma Nery assinou esta carta representando a gestão municipal naquele momento se comprometendo a efetivar as 10 politicas emergenciais de direitos humanos, onde atualmente ainda não foram discutidas suas possibilidades de implementações.

Deste modo atenuamos nossa preocupação com o descompromisso desta gestão municipal para com os avanços da promoção dos direitos humanos e salientamos que de acordo com o Relatório de Violência homofóbica-2015 da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, um LGBT é morto a cada 26h no Brasil, e movimentações como estas que retalham a promoção dos direitos humanos colaboram para o aumento destas drásticas estatísticas, e vão contra o discurso sobre a política participativa enunciada por esta gestão municipal.

Nos jovens LGBT compreendemos bem este cenário de negação de direitos e retrocesso de nossas cidadanias e dizemos-lhes BASTA DE HOMOFOBIA INSTITUCIONAL!

E mais, entoamos que nossa luta é todos os dias contra o machismo, heteronormatividade, cisheteronormatividade e a LGBTfobia!

NÃO AO GOVERNO GOLPISTA!

Leave A Reply

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com