} })(); window._fbq = window._fbq || []; window._fbq.push(['track', '6029630809151', {'value':'0.00','currency':'BRL'}]);

Diante da decisão de Waldez que só beneficia delegados, policiais civis deflagram a Operação Cumpra-se a Lei

0

Na manhã deste sábado, 14, o Sindicato dos Policiais Civis do Amapá (Sinpol) realizou assembleia geral, onde foi aprovada a operação Cumpra-se a Lei, em repúdio à falta de valorização da categoria por parte do governador Waldez Góes (PDT) e pelo projeto de lei que beneficia apenas à classe dos delegados.

De acordo com a presidente do Sinpol, Narcisa Ardasse, no apagar das luzes o governador Waldez Góes (PDT) enviou no sábado, 7, para a Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP) projeto que garante verba indenizatória de 20% para os delegados e ofereceu apenas 2,8% para os policiais civis.

“Nos três primeiros anos dessa gestão, não tivemos nada de aumento e as nossas perdas são de 26%. E de forma surpreendente o governador encaminha um projeto que só beneficia uma categoria e deixa a nossa de fora”, denuncia.

Além da operação Cumpra-se a Lei, onde os policiais irão fazer apenas o que de fato são obrigados, como não proceder a interrogatório, tomadas de depoimentos, dentre outros atos que deverão ser praticados com a presença do delegado, a assembleia geral deliberou que o Sinpol irá entrar na justiça, alegando que o projeto que beneficia os delegados é inconstitucional.

“Os policiais também farão registros do sucateamento das delegacias de polícia que hoje estão precárias”, informou a presidente.

Leave A Reply