} })(); window._fbq = window._fbq || []; window._fbq.push(['track', '6029630809151', {'value':'0.00','currency':'BRL'}]);

Cássio inclui Romero entre líderes do elenco em meio a renovação

0

O atacante Ángel Romero cada vez mais se estabelece entre ídolos não só dessa geração do Corinthians, mas também de toda a história do clube. Outrora visto como descartável e hoje titular absoluto da equipe, o paraguaio foi colocado com o mesmo status de nomes muito importantes das conquistas corintianas quando o goleiro Cássio, talvez o maior expoente dessa geração, explicou como é lidar com as constantes mudanças no elenco.

“Cara como eu, Romero, Danilo, Ralf, que foi e voltou, temos que continuar essa história”, comentou o arqueiro que, em apenas 40 dias com a Seleção Brasileira, viu o Alvinegro se despedir do zagueiro Balbuena, do lateral esquerdo Sidcley, do volante Maycon e do atacante Kazim, além do técnico Fábio Carille e do preparador de goleiros Mauri Lima.

“Acho que temos que passar o espírito que o clube tem desde antes de eu chegar. Foi algo que eu aprendi com o Alessandro, o próprio Danilo, o Júlio César. Ano passado foi uma prova bem do estilo Corinthians. Pode faltar qualidade, mas não pode faltar vontade, dedicação”, continuou o arqueiro.

Dentre os listados, Romero é facilmente quem menos venceu títulos pelo Alvinegro, totalizando apenas quatro taças desde a sua chegada, mas é o que chega mais perto da descrição feita por Cássio. Cada vez mais elogiado, ele ganhou cadeira praticamente cativa tanto com Carille quanto Loss. Agora, tenta passar aos companheiros como superar as dificuldades que o clube pode impor em um primeiro momento.

“Eu Já vi muito jogador sair, a gente demorar um pouco para engrenar, mas, quando engrenar, ser difícil de segurar. Já vi também jogadores de muita qualidade aqui, mas sem o espírito do Corinthians. Esses não conseguiram jogar”, avaliou Cássio, que confia na reconstrução a partir de nomes como Danilo Avelar, Jonathas e alguns atletas que devem ganhar mais espaço, como o zagueiro Pedro Henrique.

“É uma pressão muito grande quando os resultados não vêm. Antes de a gente chegar o time foi vitorioso também, temos que sempre fazer o nosso melhor, ajudar o treinador e buscar as vitórias”, concluiu o jogador, que volta à equipe na noite desta quarta-feira, contra o Cruzeiro, em Itaquera.

Leave A Reply