} })(); window._fbq = window._fbq || []; window._fbq.push(['track', '6029630809151', {'value':'0.00','currency':'BRL'}]);

Bebês não precisam de suco; troque a bebida pela fruta

0

Ao começar a introdução alimentar muitos bebês são apresentados ao suquinho de laranja lima. Mas, nutricionistas e pediatras alertam que bebês entre seis meses e um ano de vida não devem tomar sucos. Os pais devem trocar a bebida pela fruta in natura.

 

Os sucos possuem um alto índice glicêmico, ou seja, o organismo absorve muito rápido. Por isso, o pâncreas precisa trabalhar muito para dar conta dessa absorção. “Isso significa que um pâncreas que foi sobrecarregado no início da vida, terá mais risco de ter diabetes tipo 2 na vida adulta”, explica a nutricionista Juliana Kramer, da Vilarejo Nutrição.

Ela comenta ainda que o suco ocupa um volume gástrico grande, fazendo com que o bebê se sinta saciado o que faz com que ele coma ou mame menos do que deveria.

A nutricionista explica que os pais devem dar a fruta in natura após o bebê completar o sexto mês de vida, quando a gengiva do bebê já está preparada para mastigar. Nessa fase também, muitos bebês já possuem sustentação da cabeça e pescoço e outros já sentam. “Esses sinais também ajudam na introdução da comida sólida, pois servem como mecanismo de defesa para possíveis engasgos, por exemplo”, diz.

A nutricionista comenta ainda que a introdução alimentar é feita com as frutas por conta do sabor mais adocicado do leite materno. Ela explica que não há problemas em iniciar a alimentação com a papinha salgada já que também no leite materno encontramos uma mistura de gostos de acordo com a alimentação da mãe.

Os sucos só devem ser introduzidos após um ano de idade, mas a preferência deve ser por frutas in natura e pela água, que também pode ser introduzida após o bebê completar seis meses. Se for dar suco, opte sempre pelos naturais já que os de caixinha têm muito açúcar, conservantes e corantes.

COMO DAR AS FRUTAS

Logo nas primeiras semanas, até que o bebê se acostume com a nova textura, as frutas podem ser oferecidas amassadas. “Na medida que a aceitação desses novos alimentos for progredindo, o ideal é oferecer em pedaços e fazer com que o bebê conheça as frutas na sua forma íntegra também”, orienta.

A banana, por exemplo, pode tirar a casca da metade para cima e oferecer ao bebê, para que vá mordendo a fruta inteira com a própria gengiva. “O ideal é sempre variar as frutas e nunca liquidificar ou peneirar”, explica.

Algumas frutas como a maçã e a pêra podem ser oferecidas cozidas, para variar textura e temperatura também. “À medida que o bebê for crescendo, é interessante misturar novos ingredientes às frutas, para diversificar o paladar”, diz. Juliana diz que a maçã cozida ganha um toque de fava de baunilha, o caqui pode receber uma colher de óleo de coco, por exemplo, e a manga ser misturada com damascos cozidos e picados.

Do UOL Mulher

Leave A Reply